sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Primeiras Impressões de um Suicida

Não, não chegou a doer. Ao contrário, a despeito de todo o sangue espirrado, parede, cama, lençol, cobertor, travesseiro, e não só sangue, mas carne, nervos, miolos, uma disforme massa acinzentada e fragmentos de ossos, a sensação era de um inequívoco alívio. Eu ainda me mexia, pulsava, respirava, suava, mas não, dor não sentia. Aos poucos, muito aos poucos, ia então afinal levantando-me de mim mesmo, e logo já não apenas não sentia o meu corpo, mas de fora dele o observava. Paradoxalmente, ao mesmo tempo em que eu inerte ali ficava, ia-me. É, sim, eu vinha. Intrigante. Como em todos os momentos da minha vida, agora, no último, contradição. Dúvida, dois, dialética, divisão. Aos poucos eu não era mais eu, e, também, e também aos poucos, eu já então era só eu, mas já sem o que de mim em mim mesmo nunca fora.
Subi, subi, subi, subi, subi. Ficava lá o corpo e eu subia. Voava, olhava. Agora já sobre a cama nenhum movimento. Um pulso, outro, mais um, mais outro, e o último. Expiração. Foi-se, fui-me, vim. Dez metros, quinze, vinte, cem, o céu. E lá, sobre a cama, o corpo. Nu apesar do frio, como fiz questão. Vim nu, quis ir nu. Ou, ao contrário, dúvida, dialética, nu fui e nu agora venho. Na mão direita, ao lado da cabeça, a arma quente. O sangue espirrado, parede, cama, janela. Os olhos turvos que não cheguei a fechar. Não sei com certeza se a bala me transpassou. Quer paracer que sim. Talvez haja dela fragmentos entre os ossos. Não sei. Refaço os passos, os últimos momentos. Ela, a bala, ela, a breve carta, a minha nudez, roupas no chão, o gris da tarde invadindo a janela, e eu na cama, e ela, a arma, revólver, dedo, crânio, medo, coragem, tiro, som. Mas não. Dor não. Alívio, lívido, livre, leve. Subindo, subindo, subindo.
Fui, vim, cá afinal estou. E que ninguém por mim sinta qualquer dor. Ou que todos, de algum modo, sintam enfim por mim esta não dor que agora eu sinto. É. Fui, vim, já estou aqui. Sim, consegui.

Gugu Keller

Nenhum comentário:

Postar um comentário