segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A Festa da Torcida

Algo sobre o que detesto refletir é o futebol. Sim, isso mesmo. Afinal, que me corrija quem discordar, é tão nítido para quem tem o mínimo senso de percepção que tudo o que o envolve é mantido por interesses políticos e econômicos escusos, que os resultados são freqüentemente manipulados, que os lucros das grandes corporações que o patrocinam estão acima de qualquer senso de esportividade, que as disputas pelos direitos de transmissão são sempre obscuras e desleais, que as arbitragens não são sérias, que o respeito ao torcedor que freqüenta os estádios simplesmente inexiste etc, e, mesmo assim, confesso, não consigo ficar alheio aos grandes jogos, às grandes disputas, aos grandes campeonatos e às discussões e brincadeiras que no cotidiano tanto marcam a sadia rivalidade entre as torcidas. Pois é. O futebol é mesmo apaixonante e, mesmo ciente de toda essa tão triste quanto escancarada podridão, confesso que não consigo, no calor de um grande jogo, evitar ser por ele seduzido, ainda que, a rigor, tudo não passe de uma óbvia e covarde farsa, de uma calculada e lucrativa encenação, de um alienante e maquiavélico engodo. Talvez, como alguém já disse, a vida afinal não seja mesmo possível se não nos deixarmos enganar ao menos um pouco... Talvez... Mas detesto pensar a respeito...

Gugu Keller

Nenhum comentário:

Postar um comentário