terça-feira, 3 de setembro de 2013

Absurdolândia 2

A bandeira da Absurdolândia tem como base um retângulo verde, que, por conter outros elementos dentro de si, acaba sendo também o seu contorno, a sua parte mais externa, a sua borda. O significado deste verde externo, limítrofe, fronteiriço, é o de que, mais do que qualquer lugar do mundo, a Absurdolândia é um campo extremamente fértil, cheio de riquezas inesgotáveis para todos os que de todas partes do mundo a quiserem explorar. Com efeito, trata-se do país mais rico do globo em uma infinidade de recursos naturais. É uma terra abençoada, onde tudo o que se planta dá, com jazidas minerais e recursos hídricos sem comparação planeta afora, fontes de energia das mais diversas, uma biodiversidade incalculável, milhões de quilômetros quadrados de florestas intactas, um potencial turístico sem igual, praias maravilhosas, serras, lagoas, sítios arqueológicos, um clima ameno e generoso etc. Tudo lá, enfim, em termos de natureza, é lindo e exuberante, e, contudo, como o verde na margem da bandeira com perfeição simboliza, é uma riqueza que invariavelmente flui quase toda para fora do país. Desde os tempos em que era oficialmente uma colônia até hoje, quando já, em teoria, é independente há quase duzentos anos, a Absurdolândia foi e continua sendo, dentre todos os países do mundo, aquele que é mais explorado por outros povos. Tanto que, apesar de toda essa riqueza de recursos de que se falou, e aqui, adiantando-nos, já começamos a falar um pouco sobre o "princípio do absurdo", que, também conforme a bandeira, lá vige, a grande maioria do povo absurdo é paupérrimo em função de toda essa evasão. Paupérrimo e muitas vezes faminto. Nem de longe vê a cor de toda essa abundância. Eis, assim, o significado do verde como contorno da bandeira absurda. Muita, muita, muita riqueza. Mas voltada apenas para fora, para o externo, para o estrangeiro, sempre e sempre através dos séculos. Tanto é assim que, mesmo os caras-de-pau, uma pequena mas bastante peculiar parcela da população absurda, de que se falará adiante, esta sim com acesso à riqueza, por motivos vários igualmente adiante abordados, mas, sobretudo, em extremo respeito a esse estado de coisas estampado no verde da bandeira, hipocritamente (outro princípio basilar) guarda a maior parte do muito dinheiro que a acumula em bancos sediados no exterior, fora da Absurdolândia.

Gugu Keller  

Nenhum comentário:

Postar um comentário