terça-feira, 1 de outubro de 2013

Absurdolândia 30

A corrupção, já que a situação dos exames para obtenção de habilitação automotiva na Absurdolândia acima referida trouxe o assunto, é o principal modo, e, ao mesmo tempo, motivo, através e pelo qual o princípio da hipocrisia é sistematicamente lá mantido, cultuado e aperfeiçoado, nos termos exatos do que simboliza a sua bandeira. Sim. No mais profundo âmago da sua essência, a Absurdolândia é um país corrupto. E é justamente no contínuo negar dessa sua característica tão essencial que o princípio melhor se cumpre. Árdua missão é encontrar um único ramo de atividade humana que na Absurdolândia não seja impregnado pela corrupção, sobretudo quando de algum modo atrelado à atuação do estado. Quanto à política absurda propriamente dita, então, pode-se afirmar que pensá-la distante da idéia de corrupção é o mesmo que imaginar futebol sem bola. Essência, raiz, dna. E é muito mais do que os fatos em si. É toda uma cultura, toda uma filosofia, toda uma mentalidade generalizada e secular. O conteúdo simbólico da bandeira absurda, inclusive, aliás, de que em detalhes tratamos no início deste trabalho, está intimamente ligado ao fenômeno da corrupção. É simultânea e intrinsicamente o seu por quê e o seu porquê. As riquezas absurdas não seriam voltadas para enriquecer o externo se não fosse a corrupção. Sem ela, tampouco as leis seriam papel amarelado para se fazer pipa ou a cidadania exclusividade dos poucos representados pela estrela acima da faixa. Na Absurdolândia, a corrupção está em tudo, explica tudo e justifica tudo. Por que na Absurdolândia se paga os mais altos impostos do mundo sem uma mínima contrapartida decente? Por causa da corrupção absurda e hipócrita. Por que num país tão rico há tanta miséria e tanta injustiça social? Por causa da corrupção absurda e hipócrita. E, principalmente, por que toda essa corrupção absurda e hipócrita é na Absurdolândia do pleno conhecimento de todos e a grande maioria que sofre por causa dela não faz nada para que isso mude? Porque, devido a ela própria, a toda essa corrupção hipócrita, absurda, cruel e degradante, aos que por causa dela sofrem é negado, vimos, um mínimo, também, e sobretudo, em termos de educação, de modo que não conseguem sequer refletir a respeito com algum senso e muito menos de algum modo articular qualquer perspectiva de mudança minimamente factível. Sim. Não. Círculo vicioso. Vítimas ou hipócritas passivos, os das estrelas de baixo, "sub-estrelas", continuam a ouvir as perenes falácias entre empolgados perdigotos verbalizadas pelos caras-de-pau no poder, os "bem estrelados", hipócritas ativos, absurdos com orgulho, e, vislumbrando um horizonte promissor que passo a passo sempre se afasta, 30 de fevereiro, a caminhar rumo ao nada tentando alcançar a suculenta cenoura suspensa pela vara de pescar. Jumentos.

Gugu Keller 

Nenhum comentário:

Postar um comentário