quinta-feira, 16 de abril de 2015

Motivo 7

Fala-se tanto e há tanto tempo que os governos mundo afora não sabem como combater o tráfico de drogas, e que para ele em definitivo estão perdendo a guerra, que dá a impressão de que este é um problema simplesmente insolúvel. Bem. Em se considerando o quanto mencionei nos "motivos" anteriores acerca do ser a busca pelo entorpecente uma constante antropológica inexorável, de fato, ainda mais em tendo-se também em vista a carnificina travestida que o capitalismo impõe ao mundo, sem dúvida, creio, ele o é. Contudo digo que sei de algo capaz de da face da Terra varrer de vez o problema do tráfico, e, de carona, de todos as terríveis vertentes de violência, causadoras de tantas mortes e sofrimento humano, que dele diretamente derivam, de uma maneira simples, rápida e eficaz... Basta legalizar o comércio e o consumo dessas substâncias! E pronto! Fim do tráfico, fim das guerras entre quadrilhas de traficantes, fim do domínio destes nos bairros mais pobres, fim das execuções por dívidas, fim de tudo isso! Além disso, para quem não sabe, ao menos no caso do Brasil, e sou capaz de apostar que igualmente mundo afora, a gigantesca maioria da superpopulação carcerária é composta por traficantes. Sim. Já quase não temos onde prender homicidas, ladrões, estelionatários, agressores de mulheres, de idosos, de crianças, cambistas ou cafetões. Qualquer dia desses não teremos sequer onde encarcerar os por óbvio piores de todos, que são os corruptos. Nossas prisões, que, bem sabemos, em sua maioria em nada ficam devendo a masmorras medievais, estão lotadas, entupidas, abarrotadas de traficante de drogas. São decerto mais do que a metade. E para quê, se o tráfico continua e sempre continuará, ao menos enquanto a droga for ilegal, prosperando de vento em popa, inclusive, notório é, dentro dessas prisões? Para quê, se os consumidores, em qualquer cidade do Brasil ou do mundo, continuarão tendo extrema facilidade para conseguir as substâncias, já que estamos falando em uma lei de mercado imutável dentro do acima referido sistema capitalista de competição, e, sobretudo, de sobrevivência? Para quê, se, pior ainda, suas tristes estadas nessas verdadeiras sucursais do inferno que constituem o nosso dantesco sistema prisional, como todos igualmente bem sabemos, antes de "recuperar" os infelizes de seu tão aviltante à nossa moral tino comercial para a única atividade minimamente promissora que a nossa tragédia sócio-política lhes permite vislumbrar, os transformam em verdadeiras feras, doravante, no mais dos casos, não mais apenas vendedores do que tanta gente quer comprar, prontas a devolver ao próximo o desprezo que o estado, que, pelas bocas de seus digníssimos representantes, tanto fala em cidadania, justiça social e inclusão, através do frio de seus muros, grades e comida azeda, devotou às suas sub-vidas?
 
Gugu Keller   

Nenhum comentário:

Postar um comentário