segunda-feira, 27 de março de 2017

domingo, 26 de março de 2017

Os Três Poderes

Todos temos, tendo a crer, os três poderes da república em nosso íntimo... Um legislativo com que impomo-nos regras em regra inexeqüíveis, um executivo com que, justamente por sua inexeqüibilidade, não as cumprimos e, por fim, um judiciário através do qual, conseqüentemente, condenamo-nos impetuosos a uma extrema culpa.
 
Gugu Keller

sábado, 25 de março de 2017

sexta-feira, 24 de março de 2017

quinta-feira, 23 de março de 2017

Catarse

Escrevo meio como quem pulsa
Escrevo meio como quem posa
Como quem sangra, sua e purga
Como quem uiva, urra e goza

Gugu Keller

terça-feira, 21 de março de 2017

Mysterious Ways 2

A ironia é ser a estrada tão à sorte quando a chegada bem se sabe sempre a morte.

Gugu Keller

segunda-feira, 20 de março de 2017

Putatividade

No por que mais sofremos, se bem olharmos, vemos, nem há sentido ao menos.

Gugu Keller

domingo, 19 de março de 2017

Operação Carne Fraca

É estranho como em águas tão geladas causa tanto espanto uma ponta de iceberg.

Gugu Keller

sexta-feira, 17 de março de 2017

Chave no Bolso

Em cada um a um só tempo numa vida cativeiro, coexistem prisioneiro e carcereiro.

Gugu Keller

quarta-feira, 15 de março de 2017

Postumamente

No escrever se a um só tempo cala e fala. E eis que, ainda após a bala, o sem som o diz e abala.

Gugu Keller

terça-feira, 14 de março de 2017

Falácias

Dentre todos os dogmas, valores, ideais e instituições em que somos desde sempre compelidos a acreditar, o amor mantem-se como o único que talvez não seja uma grande mentira.
 
Gugu Keller

segunda-feira, 13 de março de 2017

She Writes

Tomara tu soubesses, poetisa, / o quanto um pranto tanto em mim repisa / ao que à brisa canto encanto das tuas rimas / expressas preces primas poetizas.
 
Gugu Keller

domingo, 12 de março de 2017

Dieta Veneno

E eis-nos neojumentos masoquistas fagiabusivos num lento e suculento gradativo suicídio.

Gugu Keller

sábado, 11 de março de 2017

quinta-feira, 9 de março de 2017

Significado de "Crime"

Quando cometido por excluídos...
 
Comportamento Reativo à Indecente Mercantilização da Educação
 
Quando "do colarinho branco"...
 
Conduta Repugnante Inviabilizadora do Minimamente Equânime
 
Gugu Keller

quarta-feira, 8 de março de 2017

Quarto de Hotel

Deitado na cama, vejo-a vir do banheiro de calcinha e sutiã... Ela me sorri aquele sorriso tão lindo, que tanto me toca, aquele sorriso que ela mostra apenas com a face, sem chegar a abrir a boca, sem mostrar o brilho dos dentes, um sorriso intrínseco, insinuado, insinuante, monalisicamente só dos seus olhos, e, cheia de doçura, de paz, de poesia, de uma presença leve que só ela tem, leva as suas mãos às costas e abre o fecho do sutiã. Lentamente, como que num ritmo a me hipnotizar, tira-o então, mostrando-me, junto com o incessante e cada vez mais doce sorriso em seu rosto, o claro da pele morna de seus peitos, o róseo suave dos seus mamilos. Pontas perfeitas. Protuberâncias poéticas da perfeição. A seguir, curvando o tronco um pouco para a frente, mas sem perder aquela cadência silenciosa que me envolve, sem parar a dança em que parada rumo ao ápice evolui, tira, ainda e sempre me apontando os olhos sorridentes quase sóis, livra-se enfim da peça mais íntima. Uma perna, outra e está feito. É, pronto. Pendura-os ambos num gancho na parede e novamente sou cúmplice da sua intimidade. Novamente sou o escolhido, o homem mais rico do mundo. O dono, o rei, o mais feliz. Um menino diante do mar. Sístole, diástole, síncope e luz. Prece, plenitude, pele, poros, paladar. É. Eis, diante de mim, o total.
Se nos amamos naquela noite? Já nem sei... Foi tão lindo vê-la ali despindo-se para mim... Quem dera aquela cena ficasse se repetindo... Segundos eternos... Quem dera se passassem, depois recuassem e voltassem a cabo... Quem dera para sempre... Acho que chorei... Ela até me perguntou, a cabeça encostada ao meu ombro, o porquê... Não soube lhe dizer... A beleza daquilo foi tanta, tanta, tanta, tão além, aliás, destas pobres e débeis palavras, que restou-me, com mais intensidade do que em qualquer outro momento, chegar ao clímax... Ao clímax do clímax do clímax do clímax! É! Sim! Eu, ateu, diante dela ali cheguei a deus! Um clímax diferente, maior, em que lágrimas foram só o que de mim verteu...! Como ela é linda, como ela é linda, como ela é linda...!
 
Gugu Keller

terça-feira, 7 de março de 2017

segunda-feira, 6 de março de 2017

Fake

Mais e mais pela aprovação alheia o por si mesmo reprovado sempre anseia.

Gugu Keller

domingo, 5 de março de 2017

Inconscient Fights

Mesmo autoimposta em sombriedade, só outra contraposta com a mesma intensidade vence uma vontade de verdade.
 
Gugu Keller

sábado, 4 de março de 2017

Diálogo Erudito

- Querida, estou com uma P.V.C. que está me deixando louco! Será que você pode me ajudar a aplacá-la?
- P.V.C., querido? O que vem a ser isso?
- Paudurecência Vaginofágica Compulsiva! Você sabe que isso às vezes acontece, né?
- Sim, claro! Mas hoje infelizmente não vou poder te ajudar... Estou com uma bela de uma F.B.F.!
- F.B.F.? Então agora quem pergunta sou eu... O que vem a ser?
- Fungobocetite Bacalhofétida Fodoinibitiva!
- Hum, entendi. Mas tudo bem, amiga... Nós poderíamos alternativamente fazer uma S.C.E....
- S.C.E.?
- Sim! Sodomizância Cuadentrativa Enrabofálica!
- Desculpe, mas para mim aí não rola...
- Por que não, querida?
- É que tenho B.A.R.! E pretendo mantê-la!
- B.A.R.?
- É! Bundovirgindade Anupoupante Retroespermofóbica!
- Tá certo... E que tal então apenas uma M.E.S.?
- M.E.S.? Você quer dizer uma Mucoboqueteada Envolvoglândica Salivolicorina?
- Isso! Exatamente! Que tal?
- Infelizmente também não vai dar...
- Ah... Por que?
- Estou com H.L.S.!
- H.L.S.?
- Herpoaftorachadura Translabial Sapinhocáustica!
- Hum... Tá certo... Bom, se é assim, eu desisto, né? Fazer o quê...?
- Posso dar uma sugestão, querido?
- Claro!
- Por que não uma boa de uma P.A.A.?
- Uma P.A.A.?
- É, você sabe... Uma Punhetobatência Acalmopíntica Autoejaculante...!
- É... Acho que vai ser o jeito... Você tá assim, toda zoada...
- Outro dia eu estava com V.P.C. e, justamente por causa da F.B.F., acabei fazendo exatamente isso...
- Hum... O que é mesmo V.P.C.?
- Vulvomolhança Penifágica Crítica!
- Ah, tá! Mas como você fez um P.A.A.? P.A.A. é coisa de homem, pô!
- Ué... Vocês fazem P.A.A. e nós fazemos X.S.N.!
- X.S.N.?
- Claro! Xanodedilhamento Nervoclitoriativo Siriricogózico!
- Hum... É mesmo, né?
- É! Às vezes é o jeito...
- Tá certo... Bom... A gente se vê então...
- Beijos, meu garoto!

Gugu Keller

sexta-feira, 3 de março de 2017

Metrópole

E, em meu peito desolado, com pedaços do passado, eis que ergue-se iceberg a cidade da saudade, capital cárdio-central do meu estado.
 
Gugu Keller

quinta-feira, 2 de março de 2017

Par

Eu quero as tuas duas nuas luas com que em meus sonhos suas toda céus teu leite e mel.

Gugu Keller

quarta-feira, 1 de março de 2017

Perto Dela

Neste tão ávido hábito de orbitar-te, meu antióbito ópio habita a arte.

Gugu Keller