domingo, 14 de outubro de 2018

sábado, 13 de outubro de 2018

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Nome: Ninguém

Na ausência do presente, porque mais pungente, a indiferença eis de repente diferente.

Gugu Keller

terça-feira, 9 de outubro de 2018

domingo, 7 de outubro de 2018

Ideologia de Gênero?

Será que ensinar às crianças que, mesmo a maioria das pessoas sendo heterossexual, há uma considerável parcela que é homossexual ou bissexual, que tal coisa é desde os primórdios um fenômeno da natureza, uma constante antropológica portanto, e que todos devem ser tratados com o mesmo respeito e sem nenhuma discriminação é um incentivo a que elas o sejam? Com a devida consideração a quem discorde, a mim me parece uma grande asneira. Ademais, caso alguém responda que sim, tal "incentivo" seria clara e totalmente irrelevante. Quem é homo ou bissexual, decerto o é a despeito de qualquer incentivo. Quem não, do mesmo modo, a despeito jamais o será. Numa analogia que creio feliz, é como ser canhoto. Ninguém escolhe. Simplesmente se é ou não. Eu, por exemplo, sou um homem calvo. Se a maioria tem cabelos na cabeça, uma significativa parte, como é o meu caso, os perde com o decorrer do tempo. É apenas mais um exemplo de que é da natureza excepcionar as suas próprias regras. Assim, não há nada de racional que justifique qualquer preconceito ou tabu, inclusive, e sobretudo, com relação a sexo. É portanto, creio, extremamente importante ensinar desde cedo que o mundo é assim, a vida é assim, a realidade é esta que estamos vendo diante de nossos narizes, e, assim como esperamos respeito de todos, devemos, sim, a todos esse mesmo respeito, até porque, como diz a canção, "ninguém = ninguém".
  
Gugu Keller