terça-feira, 23 de maio de 2017

U R

O que você nem tenta porque crê que não consegue provavelmente só não consegue porque, crendo-o, nem tenta.
 
Gugu Keller

segunda-feira, 22 de maio de 2017

domingo, 21 de maio de 2017

sábado, 20 de maio de 2017

Noturno

Entre corpos e copos, e acasos e casos, em cacos escavo-me escravo e escoro-me escracho.

Gugu Keller

sexta-feira, 19 de maio de 2017

quinta-feira, 18 de maio de 2017

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Noticiário

O estupefarmo-nos com a confirmação de um horrendo que já nos era óbvio atesta o quanto ainda optamos por mantermo-nos em fantasias.
 
Gugu Keller

terça-feira, 16 de maio de 2017

Rockabilly Pop Deus - Letra

Queridos amigos...

Conforme escrevi aqui há dois dias, postei um vídeo com uma de minhas canções, "Rockabilly Pop Deus", na minha página no facebook e, tendo já sido muitas as visualizações, venho agora aqui dizer que estou imensamente grato a quem acessou e tem ajudado a divulgar. Apesar de a letra já ter sido postada neste blog (26-08-09), algumas pessoas pediram para que eu a postasse novamente. É que alguns dos nossos amigos, creio que todos compreendemos bem isso, não tendo o hábito de navegar no mundo dos blogs, às vezes não têm muita prática ou mesmo paciência na utilização do "buscador". Então, como não me custa nada postá-la de novo, repisando a minha enorme gratidão, abaixo aí vai... 
 
ROCKABILLY POP DEUS
 
Eu andava duro, quebrado, falido
Com dívidas, coisa e tal
Quando me bateu na cabeça uma idéia
Simples mas sensacional
Estou tentando abrir uma igreja de crente
Igual a gente vê na tv
É só pegar na bíblia e falar eloqüente
Que a grana já começa a chover
 
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Me ensina a fazer uma oração com amor
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Eu quero ficar rico e glória dar ao senhor
 
Terno e gravata ajudam na pose
E num mês dá para tirar um milhão
Diz que negócio tão bom quanto este
Só tráfico e prostituição
 
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Dízimo em dia no carnê do louvor
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Terrenos no céu ou seja lá o que for
 
Na minha mão o diabo está morto
Qualquer oferta e é logo "xô, satanás"
Em nome do senhor Jesus eu ordeno
Deixa esse corpo em paz
 
É hora de fazer uma corrente de fé
Para a concorrência ficar logo no chão
Umbanda, espiritismo, astrologia e axé
A gente diz que é tudo coisa do cão
 
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Eu quero picareta me tornar sem pudor
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Com carro importado e conta no exterior
Boa noite, caro amigo telespectador
Agora eu também sou pastor
Traga aqui para deus o que tiver de valor
Pois Jesus Cristo é o senhor
 
Gugu Keller

segunda-feira, 15 de maio de 2017

domingo, 14 de maio de 2017

Rockabilly Pop Deus - Vídeo

Queridos amigos... Ontem fiz um vídeo que postei no facebook no qual, acompanhado do meu violão, canto a minha canção "Rockabilly Pop Deus". Convido todos, e desde já fico grato, a darem uma olhada (ouvida) e deixarem suas impressões. Bjs!
 
Gugu Keller

sábado, 13 de maio de 2017

sexta-feira, 12 de maio de 2017

quinta-feira, 11 de maio de 2017

52

Hoje mais um ano se completou do meu pequeno ciclo nesta terra, no qual, tanto quanto me é possível, tenho tentado cumprir esta minha humilde missão, que é escrever o quanto sinto, penso e invento. Agradeço a todos os amigos que estiveram comigo nesta data, bem como aos tantos que telefonaram, mandaram e-mails e mensagens no facebook! Obrigadíssimo! Amo vcs todos!
 
Gugu Keller

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Writing Chemistry

Em densas não doses do dom de a domar, ao doer é a dor quem me doa o que dar.

Gugu Keller

terça-feira, 9 de maio de 2017

segunda-feira, 8 de maio de 2017

domingo, 7 de maio de 2017

Evolução?

Da dos tempos das cavernas lei do mais forte dizemos o caos. Já a do mais rico destas eras modernas achamos normal.
 
Gugu Keller

sábado, 6 de maio de 2017

B.N.W.

A prisão mais enclausurante é a dos que ingênuos nos cremos livres.

Gugu Keller

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Labman

Cada vez mais sofisticado com o decorrer da vida, minha mente e meu corpo constituem um complexo e gigantesco laboratório onde, tanto quanto possível até o seu âmago, são experenciados todos os tipos de dores, prazeres, sentimentos e emoções. Em alguns versos e outros meus literários desabafos, as pífias conclusões.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 3 de maio de 2017

terça-feira, 2 de maio de 2017

Lobisomem

Eu sou um oligo-esquizofrênico testículo-tentaculoso filantro-misantropo.

Gugu Keller

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Maio

Ao que o patrão a escravidão travestiu tão de ganha pão, com por migalhas gratidão à abolição já se diz não.
 
Gugu Keller

sábado, 29 de abril de 2017

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Gente

Eu sou carente, querente e ardentemente urgente, mas, comigo sempre incoerente, também ausente, dependente, descrente e descontente. Decerto, assim, somente, soa quente e transparente, demente mais um quase inexistente ante este ente intermitente tão gigante quão doente.

Gugu Keller

quinta-feira, 27 de abril de 2017

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Fachada

E eis-me, farsa confessa, frontispício extrafresta neste hospício às avessas.

Gugu Keller

terça-feira, 25 de abril de 2017

segunda-feira, 24 de abril de 2017

domingo, 23 de abril de 2017

Tarja Preta

Às vezes é tão cansativa essa brincadeira de todo dia fingirmos ser normais...!

Gugu Keller

sábado, 22 de abril de 2017

sexta-feira, 21 de abril de 2017

quinta-feira, 20 de abril de 2017

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Amores

Os impossíveis são os mais densos. Os proibidos, os mais tensos. E os os dois, totais pois, ao mais intenso por tempo imenso os mais propensos. 
 
Gugu Keller

terça-feira, 18 de abril de 2017

segunda-feira, 17 de abril de 2017

domingo, 16 de abril de 2017

sábado, 15 de abril de 2017

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Brasil a Limpo

Que enfim ao fim todo esse bonde do desbunde, infinda foda que confunde ao que se infunde, ao fundo afunde e nos inunde de seus nus.
 
Gugu Keller

quinta-feira, 13 de abril de 2017

quarta-feira, 12 de abril de 2017

terça-feira, 11 de abril de 2017

Liberal

Ao que a vela viola a viela, bi ela ali bela, dela se mela liberta a libélula.

Gugu Keller

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Picadeiro

E eis-nos, em insípitos cíclicos círculos, submissos suicidas subsímios neste circo.

Gugu Keller

domingo, 9 de abril de 2017

sábado, 8 de abril de 2017

Mainstream

A buscarmo-nos no escuro onde, sabemos, nos perdemos, preferimos a que esconde luz em termos em que vemos.
 
Gugu Keller

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Temporais

Num que empedra em perdas prévias esperar sem esperança, a vida avidamente a um vil em vão veloz avança.
 
Gugu Keller

quinta-feira, 6 de abril de 2017

"Pra Lá e Pra Cá" no Teatro Jardim Sul

Amanhã, sexta-feira, 07/04, a minha peça "Pra Lá e Pra Cá" (o título original é "A Dívida") estréia no Teatro Jardim Sul, aqui em São Paulo. No elenco, Du Kammargo, Adriano Arbol, Glaura Lacerda, Luciano Rocha & Marina Possebon. A direção é de Mário Goes. Convidamos todos a vir nos prestigiar.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Brasilidades

Entre nós é freqüente que balas perdidas em carne inocente encontrem guarida.

Gugu Keller

terça-feira, 4 de abril de 2017

Minhas Músicas - "Oração de um Ateu"

ORAÇÃO DE UM ATEU

Dê-me, deus, a lucidez da total desesperança
Dê-me a triste doce vingança de ter ao tempo para matar
Dê-me, cristo, voto e visto para um gradativo suicídio
Dê-me vício, vaga no hospício e o precipício azul do mar
Dê-me, pai, o teu aval, dê-me o tal, ó pai, teu filho
Dê-me exílio, dê-me um gatilho, o vinho, a cruz, o cravo e o pão
Dê-me o nome do meu erro, dê-me gelo e outra dose
Dê, que adoce-me o desespero, a pá, o enterro e, pai, perdão

A vida vem viva do vão da vagina
E vai-se vencida do tempo vilão
A vida é o esperma que invade a barriga
E aderna em fadiga à vala no chão

Dê-me, mãe, a tua mão, dê, mulher, a mim teu mundo
Dê-me o fruto, a fenda e o fundo, dê-me o peito, ó mãe, o grão
A semente do teu ventre dê-me quente, o sangue à lida
Dê-me a cor da flor ferida, dê-me, amiga, o teu botão
Piedade tende, pai, a um ateu à tôa um troco
Este cálice afastai de um devoto a são ninguém
Traz trindade a quem te trai, faz do nada em mim um pouco
Faz-me um corpo que aqui cai, faz-me pó, meu pai, amém

Gugu Keller

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Procrastinação

Sempre que deixo para amanhã, condeno o hoje a ser um ontem de que me arrependerei.

Gugu Keller

domingo, 2 de abril de 2017

sábado, 1 de abril de 2017

Homens-Espelho

Quem o é de si próprio, a todos como amigos tem. Quem não, do mesmo modo, ninguém.

Gugu Keller

sexta-feira, 31 de março de 2017

quinta-feira, 30 de março de 2017

quarta-feira, 29 de março de 2017

Ordem e Progresso

Nessa hipócrita ótica psicomórbida, nossa patética ética pseudoestética.

Gugu Keller

terça-feira, 28 de março de 2017

Estado, Igrejas, Empresas Etc

Sabemos tanto e tão bem o quanto somos enganados, que a verdade é que a rigor já nem o somos.

Gugu Keller

segunda-feira, 27 de março de 2017

domingo, 26 de março de 2017

Os Três Poderes

Todos temos, tendo a crer, os três poderes da república em nosso íntimo... Um legislativo com que impomo-nos regras em regra inexeqüíveis, um executivo com que, justamente por sua inexeqüibilidade, não as cumprimos e, por fim, um judiciário através do qual, conseqüentemente, condenamo-nos impetuosos a uma extrema culpa.
 
Gugu Keller

sábado, 25 de março de 2017

sexta-feira, 24 de março de 2017

quinta-feira, 23 de março de 2017

Catarse

Escrevo meio como quem pulsa
Escrevo meio como quem posa
Como quem sangra, sua e purga
Como quem uiva, urra e goza

Gugu Keller

terça-feira, 21 de março de 2017

Mysterious Ways 2

A ironia é ser a estrada tão à sorte quando a chegada bem se sabe sempre a morte.

Gugu Keller

segunda-feira, 20 de março de 2017

Putatividade

No por que mais sofremos, se bem olharmos, vemos, nem há sentido ao menos.

Gugu Keller

domingo, 19 de março de 2017

Operação Carne Fraca

É estranho como em águas tão geladas causa tanto espanto uma ponta de iceberg.

Gugu Keller

sexta-feira, 17 de março de 2017

Chave no Bolso

Em cada um a um só tempo numa vida cativeiro, coexistem prisioneiro e carcereiro.

Gugu Keller

quarta-feira, 15 de março de 2017

Postumamente

No escrever se a um só tempo cala e fala. E eis que, ainda após a bala, o sem som o diz e abala.

Gugu Keller

terça-feira, 14 de março de 2017

Falácias

Dentre todos os dogmas, valores, ideais e instituições em que somos desde sempre compelidos a acreditar, o amor mantém-se como o único que talvez não seja uma grande mentira.
 
Gugu Keller

segunda-feira, 13 de março de 2017

She Writes

Tomara tu soubesses, poetisa, / o quanto um pranto tanto em mim repisa / ao que à brisa canto encanto das tuas rimas / expressas preces primas poetizas.
 
Gugu Keller

domingo, 12 de março de 2017

Dieta Veneno

E eis-nos neojumentos masoquistas fagiabusivos num lento e suculento gradativo suicídio.

Gugu Keller

sábado, 11 de março de 2017

quinta-feira, 9 de março de 2017

Significado de "Crime"

Quando cometido por excluídos...
 
Comportamento Reativo à Indecente Mercantilização da Educação
 
Quando "do colarinho branco"...
 
Conduta Repugnante Inviabilizadora do Minimamente Equânime
 
Gugu Keller

quarta-feira, 8 de março de 2017

Quarto de Hotel

Deitado na cama, vejo-a vir do banheiro de calcinha e sutiã... Ela me sorri aquele sorriso tão lindo, que tanto me toca, aquele sorriso que ela mostra apenas com a face, sem chegar a abrir a boca, sem mostrar o brilho dos dentes, um sorriso intrínseco, insinuado, insinuante, monalisicamente só dos seus olhos, e, cheia de doçura, de paz, de poesia, de uma presença leve que só ela tem, leva as suas mãos às costas e abre o fecho do sutiã. Lentamente, como que num ritmo a me hipnotizar, tira-o então, mostrando-me, junto com o incessante e cada vez mais doce sorriso em seu rosto, o claro da pele morna de seus peitos, o róseo suave dos seus mamilos. Pontas perfeitas. Protuberâncias poéticas da perfeição. A seguir, curvando o tronco um pouco para a frente, mas sem perder aquela cadência silenciosa que me envolve, sem parar a dança em que parada rumo ao ápice evolui, tira, ainda e sempre me apontando os olhos sorridentes quase sóis, livra-se enfim da peça mais íntima. Uma perna, outra e está feito. É, pronto. Pendura-os ambos num gancho na parede e novamente sou cúmplice da sua intimidade. Novamente sou o escolhido, o homem mais rico do mundo. O dono, o rei, o mais feliz. Um menino diante do mar. Sístole, diástole, síncope e luz. Prece, plenitude, pele, poros, paladar. É. Eis, diante de mim, o total.
Se nos amamos naquela noite? Já nem sei... Foi tão lindo vê-la ali despindo-se para mim... Quem dera aquela cena ficasse se repetindo... Segundos eternos... Quem dera se passassem, depois recuassem e voltassem a cabo... Quem dera para sempre... Acho que chorei... Ela até me perguntou, a cabeça encostada ao meu ombro, o porquê... Não soube lhe dizer... A beleza daquilo foi tanta, tanta, tanta, tão além, aliás, destas pobres e débeis palavras, que restou-me, com mais intensidade do que em qualquer outro momento, chegar ao clímax... Ao clímax do clímax do clímax do clímax! É! Sim! Eu, ateu, diante dela ali cheguei a deus! Um clímax diferente, maior, em que lágrimas foram só o que de mim verteu...! Como ela é linda, como ela é linda, como ela é linda...!
 
Gugu Keller

terça-feira, 7 de março de 2017

segunda-feira, 6 de março de 2017

Fake

Mais e mais pela aprovação alheia o por si mesmo reprovado sempre anseia.

Gugu Keller

domingo, 5 de março de 2017

Inconscient Fights

Mesmo autoimposta em sombriedade, só outra contraposta com a mesma intensidade vence uma vontade de verdade.
 
Gugu Keller

sábado, 4 de março de 2017

Diálogo Erudito

- Querida, estou com uma P.V.C. que está me deixando louco! Será que você pode me ajudar a aplacá-la?
- P.V.C., querido? O que vem a ser isso?
- Paudurecência Vaginofágica Compulsiva! Você sabe que isso às vezes acontece, né?
- Sim, claro! Mas hoje infelizmente não vou poder te ajudar... Estou com uma bela de uma F.B.F.!
- F.B.F.? Então agora quem pergunta sou eu... O que vem a ser?
- Fungobocetite Bacalhofétida Fodoinibitiva!
- Hum, entendi. Mas tudo bem, amiga... Nós poderíamos alternativamente fazer uma S.C.E....
- S.C.E.?
- Sim! Sodomizância Cuadentrativa Enrabofálica!
- Desculpe, mas para mim aí não rola...
- Por que não, querida?
- É que tenho B.A.R.! E pretendo mantê-la!
- B.A.R.?
- É! Bundovirgindade Anupoupante Retroespermofóbica!
- Tá certo... E que tal então apenas uma M.E.S.?
- M.E.S.? Você quer dizer uma Mucoboqueteada Envolvoglândica Salivolicorina?
- Isso! Exatamente! Que tal?
- Infelizmente também não vai dar...
- Ah... Por que?
- Estou com H.L.S.!
- H.L.S.?
- Herpoaftorachadura Translabial Sapinhocáustica!
- Hum... Tá certo... Bom, se é assim, eu desisto, né? Fazer o quê...?
- Posso dar uma sugestão, querido?
- Claro!
- Por que não uma boa de uma P.A.A.?
- Uma P.A.A.?
- É, você sabe... Uma Punhetobatência Acalmopíntica Autoejaculante...!
- É... Acho que vai ser o jeito... Você tá assim, toda zoada...
- Outro dia eu estava com V.P.C. e, justamente por causa da F.B.F., acabei fazendo exatamente isso...
- Hum... O que é mesmo V.P.C.?
- Vulvomolhança Penifágica Crítica!
- Ah, tá! Mas como você fez um P.A.A.? P.A.A. é coisa de homem, pô!
- Ué... Vocês fazem P.A.A. e nós fazemos X.S.N.!
- X.S.N.?
- Claro! Xanodedilhamento Nervoclitoriativo Siriricogózico!
- Hum... É mesmo, né?
- É! Às vezes é o jeito...
- Tá certo... Bom... A gente se vê então...
- Beijos, meu garoto!

Gugu Keller

sexta-feira, 3 de março de 2017

Metrópole

E, em meu peito desolado, com pedaços do passado, eis que ergue-se iceberg a cidade da saudade, capital cárdio-central do meu estado.
 
Gugu Keller

quinta-feira, 2 de março de 2017

Par

Eu quero as tuas duas nuas luas com que em meus sonhos suas toda céus teu leite e mel.

Gugu Keller

quarta-feira, 1 de março de 2017

Perto Dela

Neste tão ávido hábito de orbitar-te, meu antióbito ópio habita a arte.

Gugu Keller

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Espumante

Meu amor para o mundo de branco brinda
Ao que no dela fundo da fenda finda

Gugu Keller

domingo, 26 de fevereiro de 2017

sábado, 25 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O Melhor do Sexo

O melhor do sexo é deixar que ele nunca seja uma certeza. Mesmo na iminência de uma situação íntima que o faça altamente provável, que não, nem aí, seja algo certo. Que certos sejam apenas a proximidade, o carinho, o toque, o contato, o abraço, e que o sexo, afinal por iniciativa ou imposição dele próprio, desse algo nele tão maior do que nós, simplesmente então aconteça. Sim. Mesmo que grande, que ele seja sempre só uma possibilidade que espreita, e que por si só afinal eclode em mas a despeito de nós. E que então deixemos que venha, evolua e nos envolva. Não o façamos, sejamos dele instrumentos. E que ele nos guie, e nos leve, e nos puxe através dos instintos como que por nossas mãos. E que enfim faça de nós o que quiser. E nos cuide e nos tome conta. Inebrie-nos e nos leve por mundos e céus. E ao fundo. Ao fundo do fundo de nós. Ao fundo do fundo do fundo "do" nós. Sim. Fundo. E, no de nós mais profundo, então o divino do a dois. Nunca a busca, mas a entrega. Nunca o truque, mas a troca. Nunca a luta, só rendição. Que ele a nós nos encontre. Que verta, que vingue e que vença. Sempre. E, sim, que nos encontre. Próximos, íntegros, juntos. Não à espera mas prontos. Não à procura mas alvos. Já não dois "eus" mas "um" nós. Que o sexo, meus amigos, seja a conseqüência e não o fim. O corolário e não o motivo. Não o porquê, o por que. Que não seja a chegada, mas a ida. Nem a estrada, mas o passo. E nem a passada, mas, sim, enfim, o chão. Que o sexo, minha pequena, não seja nunca a busca do gozo. Não. Que seja, isso sim, e é este o seu melhor, todo ele um longo e contínuo gozo. Um longo e contínuo caminho de gozo que dá no amor.
 
Gugu Keller

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

domingo, 19 de fevereiro de 2017

sábado, 18 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Lunar

A nua à mestra lua no céu mostrar-se sua, a mulher o seu melhor mister menstrua.

Gugu Keller

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Rio Abaixo

E eis-nos a nós a sós entre nós numa noz nau veloz nus a nós no pós-foz.

Gugu Keller

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

domingo, 12 de fevereiro de 2017

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Curitiba Blues

A tão festejada delação premiada por parte de pessoas que se encontram trancafiadas em gaiolas apertadas e sufocantes, tendo a crer, é uma espécie de versão light da obtenção de depoimentos mediante tortura.
 
Gugu Keller

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Strike

Quando uma determinada categoria de funcionários públicos responsáveis por um serviço essencial de que a população não pode prescindir decide, como ocorre no momento com os policiais militares no estado do Espírito Santo, entrar em greve, sempre ouvimos uma mesma ladainha das autoridades  dando conta de que, sim, o reivindicado é de direito mas o estado não tem como atender por não ter caixa para tanto e não se pode de tal em virtude à míngua deixar o povo, que acaba sendo o grande prejudicado. Em regra nesses casos vem em seguida o judiciário e decide que, mesmo o pleito tendo base legal, tal forma de reivindicação, a única, cá entre nós, capaz de surtir algum efeito efetivo, é, por paradoxal que isso soe, abusiva e ilegal. Muito se diz também em situações assim que se há de considerar que o estado não está deixando de atender àquele direito porque "não quer", mas porque não pode, e que, portanto, a greve é um mecanismo extremo que não se justifica. Pois bem. Há, contudo, um aspecto relativo a este entre nós tão e cada vez mais comum cenário fático que creio extremamente relevante e sobre o qual nada ou muito pouco se menciona a respeito, e eis o porquê deste pequeno artigo... Já repararam os amigos leitores que nunca falta verba nos cofres públicos para se atender aos reajustes salariais legalmente devidos quando os servidores destinatários de tais créditos são, seja em escala federal, estadual ou municipal, chefes do executivo, ou seus ministros ou secretários, ou membros dos legislativo ou seus tantos assessores, ou do judiciário, ou do ministério público etc? Não é estranho isso? Será loucura de minha parte imaginar, porque, sim, imagino, que todas as carreiras do funcionalismo deveriam ser tratadas com o mesmo respeito? Creio que todos sabem o que significa "paridade", não? Não parece lógico, ululantemente óbvio até, que, se recursos não há para a todos reajustar no que lhes é devido, o possível deveria ser proporcionalmente, e, sobretudo, paritariamente, compartilhado? Mas não. Misteriosamente, aos que já ganham mais os reajustes legais são sempre integral e prontamente conferidos, ao passo que, aos que menos, o que der e quando e se der. Bem... Não sei se estou equivocado, uma vez que é bastante parco o meu conhecimento jurídico, e jamais ouvi nenhum jurista respeitado referir-se ao quanto vou dizer agora, mas, considerando que o art. 3°, III, da nossa tão festejada constituição-cidadã reza que um dos objetivos fundamentais da república federativa do Brasil é a redução das desigualdades sociais, não será esta prática a que aqui me refiro flagrante e frontalmente inconstitucional?!? Oras! Se aos já mais privilegiados monetariamente os reajustes são sempre integrais e sem demora, ao passo que aos menos, quando vêm, são aquém daquilo que lhes é direito, então se está aumentando a desigualdade social, ou seja, indo diametralmente contra um dos basilares objetivos fundamentais tão clara, esmerada  e sagradamente carpintado na nossa tão aos quatro ventos apregoada carta magna!!! Creio que é isso, não? Ou será que falo besteira? Bom... E, voltando às greves e suas repercussões, qual é óbvia conseqüência desse bizarro estado de coisas, ao menos na talvez obtusa visão deste que aqui modestamente registra estas poucas linhas? A conseqüência, meus amigos, penso-o com afinco, é que, de um modo tão triste quanto insofismável, o estado, através dessas autoridades que o representam, que, diga-se, aliás, de passagem, fazem parte daqueles a quem o de direito não tarda nem é minorado, simplesmente não tem a menor condição moral para, como sempre faz, alegar essa sua tanta e tão contínua falta de verba. É como certa vez tive a oportunidade de escrever nesta espaço: "Têm preferência nos orçamentos dos excelências os vencimentos." Será que alguém discorda?
 
Gugu Keller

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Evolução Ideológica

A principal diferença entre o nazismo e o capitalismo reside no fato de que, enquanto aquele exterminava os seus indesejáveis, este "apenas" socialmente os exclui.
 
Gugu Keller

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Nu & Nua

Que, deste quê com que doentes qual dementes disfarçamo-nos, doravante do a dois dantes dispamo-nos e despeçamo-nos.
 
Gugu Keller

sábado, 4 de fevereiro de 2017

On The Road

Minhas mãos fecham contrato com meu coração apaixonado e confirmam uma longa turnê pelo corpo dela. Shows de extremo carinho acontecerão em seus cabelos, rosto, ombros, peitos, coxas, nádegas, mãos, dedos e toda a pele e pêlos em geral, além de outros locais a serem oportunamente divulgados. Ingressos apenas para nós dois.
 
Gugu Keller

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Muros

Murar é em muda um modo mudo, no mando o medo muito, de ao mal moldar-se o mundo.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Shelter

Na paz dos peitos da guria amada apraz-me um leito de estia e estada.

Gugu Keller

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

domingo, 29 de janeiro de 2017

Eu Te Amo

Amar é tanto de o dizer jamais se saciar quanto o mesmo sempre ouvir sem nunca se bastar.

Gugu Keller

sábado, 28 de janeiro de 2017

Relationships

Às vezes a troca é tão rica que quem parte é para sempre quem fica.

Gugu Keller

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Em Resumo

Apaixonar-se é projetar num corpo alheio, escolhido segundo padrões psicoestéticos socialmente aprendidos que no inconsciente se misturam ao instinto básico de preservação da espécie, a defensiva ilusão de se poder superar a perene sensação de incompletude que por natureza nos é inerente.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Crise Carcerária 2

Se, em nome da segurança pública, o estado proíbe que boates, casas de espetáculos, ginásios, estádios de futebol, cinemas, teatros etc, recebam uma quantidade de pessoas acima da sua capacidade, fiscalizando-o com razoável eficiência e, não raro, aplicando multas e outras sanções aos eventuais descumpridores das normas que assim determinam, com, inclusive, convenhamos, toda razão, já que o a estas desrespeito pode redundar em casos nefastos como o da Boate Kiss, em Santa Maria, por que será que ele próprio, o estado, não as respeita no que tange aos presídios? Como pasmo costumo dizer, como pode, assim, haver um estado, que tanto, bem sabemos, aos quatro ventos apregoa-se de direito, pretender nos impor suas leis quando ele próprio não as cumpre? Não é com base em dispositivos legais, na lei enfim, que aqueles que cometem crimes, definidos, aliás, também, como não poderia deixar de ser, por ela, a lei, são pelo estado condenados e privados de sua liberdade? Então, se se prende com fulcro na lei, há que se prender dentro da lei, ou de acordo com a lei, ou estou falando besteira? Será que pode uma prisão legalmente determinada ser ilegalmente cumprida? Parece-me claramente o caso do que temos visto, não? Alguém discorda? Bem... É claro que nem de longe eu imagino que o nosso estado, tão de direito como é, vá tratar os seus presos como sujeitos menos dignos de terem seus direitos respeitados do que os que estamos livres. Não, isso não. Jamais me passaria pela cabeça. Até porque, como bem se sabe, a própria lei, que é quem manda num estado de direito, totalmente veda tamanha absurdidade. Ademais, mesmo que, por esdrúxula hipótese, assim fosse, não nos esqueçamos de que, talvez num pequeno e excepcionalíssimo lapso deste nosso, com o perdão pela repetição da expressão, estado de direito, apesar de ulular em nossa constituição, a lei das leis, que ninguém pode ser considerado culpado antes do trânsito em julgado da decisão condenatória, há entre os que padecem em nossos presídios, que, superlotados, forçosa é a conclusão, funcionam, então, na ilegalidade, ou seja, contra a lei, no que se refere às normas relativas a sua capacidade, uma acintosa proporção de pessoas que nem sequer chegaram a ser julgadas. Pequeno lapso, insisto. De modo que, para finalizar, deixo a pergunta no ar... Por que será que o estado brasileiro, que, perdão concedido pelo novamente, ressalte-se sempre, é democrático e de direito, descumpre ele próprio as tão básicas normas de segurança pública que a nós, cidadãos, bem como às pessoas jurídicas, impõe, como são as relativas à lotação dos espaços públicos? Mistério, não?
 
Gugu Keller  

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Dig In The Dancing Queen

Para saberes se manténs o mais sadio do ser criança, sente o quanto o som da música ainda impende-te à dança.

Gugu Keller

sábado, 21 de janeiro de 2017

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Swallow

É como um soco o espoco louco que me desfoca ao que o oco da tua boca me todo entoca.
 
Gugu Keller

domingo, 15 de janeiro de 2017

Crise Carcerária

Uma excelente maneira de se ilustrar e entender o que ocorre quando à violência se responde com mais violência, recomendo-o, inclusive, às nossas queridas autoridades, consiste em posicionar um espelho diante de outro e observar a imagem em ambos.
 
Gugu Keller

sábado, 14 de janeiro de 2017

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Desprezo

Na inversão que o chão nos nega com que a paixão nos pega e prega, é em regra a quem nos renega a nossa mega e cega entrega.
 
Gugu Keller

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Mamilosa

O meu amor tem os peitos perfeitos
Nosso ardor é qual passos no espaço
E, de feitos de leite em seu leito
É intenso o alento em seu laço

Gugu Keller

domingo, 8 de janeiro de 2017

Proficuamente Musa

Tamanho é o teu me inspirar, que, quase tanto quanto a ti, eu amo te amar.
 
Gugu Keller

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Flex

O tolo em autofuga se algo muda se inapta. Já o sábio se ajuda e a si sempre se adapta.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Detrás do Mundo

Com o perdão pelo estorvo do terrível da verdade, eis-nos chão que com o corpo é incompatível a liberdade.

Gugu Keller

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Prolixa Pantomima

Sempre protagonizada por representantes das elites que perenemente e à custa da exploração dos delas excluídos como tais buscam permanecer, a política na prática é uma tragicômica performance cênica através da qual, em regra com sucesso, a estes últimos se convence de uma tão hipotética quanto mentirosa perspectiva do contrário.
 
Gugu Keller

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

domingo, 1 de janeiro de 2017