terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Incêndio

Do meu corpo prédio em chamas, janela boca rumo ao nada, às palavras resta saltarem desesperadas.

Gugu Keller

4 comentários:

  1. É esse desespero que anima o escritor. Gostei. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Sim, Gugu, elas se formam como válvulas de escape, espremem e exprimem novos sentidos, sempre. Belo post, beijo.

    ResponderExcluir
  3. Quantas vezes as palavras nos salvam ñ é..

    ResponderExcluir