domingo, 25 de outubro de 2009

Minhas músicas - "Desabafo"

Às vezes fico pensando... O ato de desabafar, sempre tão clara e desesperadamente necessário, é, de um ponto de vista puramente racional, tão desprovido de sentido... Sim, pois, afinal, de que nos serve, sempre a pensá-lo racionalmente apenas, que outrem tome conhecimento de nossa dor? Em que isso a diminui? É que, tendo a assim crer, precisamos nos apegar à consciente ilusão de que não somos enfim tão sós. Mas definitivamente somos. E esta nossa gigantesca solidão vem do decerto inequívoco fato de que cada um de nós está irremediavelmente fadado a ser o único a sentir e pensar em seu próprio universo psíquico. Ou não é assim? De todo modo, desesperados, desabafemos...

DESABAFO

Eu quero dar tiros no escuro
Pois eu não acredito em acaso
Dar gritos de dor contra o muro
Meus olhos molhados
Cansados de não ver futuro

Quero juntar e colar meus pedaços
Com fé e com esparadrapo
E afinal ver passar o passado
Meu mundo encantado
Contato das mãos ao meu lado

Eu quero poesia
Prazer, prosa e prozac
Eu quero pele, um par de peitos, pão e paz

Eu quero dar murros no espelho
Pois eu não acredito em destino
E ver brotar o meu sangue vermelho
Meu dente canino
Descrente ao melhor dos conselhos

Quero beber toda a água da chuva
E toda a que dorme nos lagos
E ver a vida já não toda turva
Afetos e afagos
Abertos no meio da curva

Eu quero uma porta
O porto, a ponte, um parto
Eu quero o preço da passagem, pão e paz

Eu quero dar giros no espaço
Pois eu não admito limites
E segurar os vampiros no braço
Entrar sem convite
Nos riscos no próximo passo

Quero estar todo desamarrado
Desengatando a ré
Eu quero ser eu ao contrário
E, sempre de pé
Alinhar meu caminho alterado

Eu quero uma prova
A pedra, o pó, a picada
Eu quero prece, pranto, pausa, pulso e pus

Prozac, pão, palavra e mais nada
Poesia, prosa, peitos, paz e luz

Gugu Keller

Um comentário: